Acusado de desacatar o presidente Prudente de Morais, Raul Pompéia é demitido da diretoria da Biblioteca Nacional. No dia de Natal de 1895, dá um tiro no coração. A mãe e as irmãs correm para acudi-lo. Uma delas pára na porta e tem uma crise de nervos. Antes de pedir água e morrer, o escritor, tendo notado o estado da irmã, diz à mãe: "Vá ver a Alice".

.

.

.

.

.