"É para obter o supérfluo, e não o necessário, que se cometem os grandes crimes." (Aristóteles)

.

.

.

.

.