"Se quiseres, confia na pata do coelho: mas lembra-se de que ela não deu sorte ao coelho." (R. E. Shay)

.

.

.

.

.