Nada está no intelecto que não tenha passado antes pelos sentidos (Provérbio antigo)

.

.

.

.

.